QUEREM TRABALHAR – Em carreata, produtores de eventos cobram ajuda para superar crise

O empresário da banda Arroxonados Oficial, Eudes Cavalcante
O empresário da banda Arroxonados Oficial, Eudes Cavalcante

Mais de 300 empresários do ramo de eventos, donos de empresas e autônomos, se uniram na manhã deste domingo, 16, em carreata, para cobrar do governo do estado um diálogo a fim de encontrar uma solução para a crise que assombra o setor.

O idealizador do manifesto foi o empresário da banda Arroxonados Oficial, Eudes Cavalcante, que conseguiu mobilizar grande parte da categoria, que pede a volta ao trabalho, primeiramente com pequenos eventos; linhas de crédito; e menores taxas de juros de empréstimos bancários.

A concentração da carreata ocorreu no Estacionamento do Jaraguá, na capital alagoana, por volta das 9h. O deputado federal Marx Beltrão conversou com os manifestantes se comprometendo em ajudar os empresários levando as reivindicações ao governador Renan Filho e a Brasília.

Os profissionais, que estão parados há seis meses, também pediram ajuda emergencial aos mais vulneráveis da classe, aqueles que não possuem CNPJ. Estiveram no movimento: proprietários, promotores e trabalhadores de eventos em geral, como seguranças, músicos, ajudantes, contra regras, decoradores, iluminadores e técnicos de som.

Em comunicado enviado à imprensa, os empresários ainda informaram que “a classe reivindica ajuda social no que se refere a auxílio temporário para que as famílias de seus colaboradores sejam assistidas, bem como brigam por acesso a créditos e financiamentos prometidos, mas que, até agora, não conseguiram, além de pleitearem regras específicas na cobrança de impostos para a classe, já que será a última a voltar às suas atividades”.

A carreata saiu do Jaraguá, passando pela Pajuçara, Ponta Verde e finalizando na Lagoa da Anta, na Jatiúca.

Fechar