INVESTIGAÇÃO – Presos em nova fase da Lava Jato tinham relações com João Caldas e Téo Vilela

Preso hoje, 19, em nova fase da operação Lava Jato, o empresário Gérman Efromovich tinha relações próximas com o ex-deputado João Caldas, pai do deputado federal JHC (PSB). Caldas foi um dos principais articuladores da tentativa de trazer o estaleiro Eisa – de propriedade do empresário – para Alagoas.

Anunciado com estrondo pelo então governador Teotonio Vilela Filho (PSDB), o projeto do estaleiro que seria construído em Coruripe, gerando milhares de empregos diretos e indiretos, não vingou, mas a ligação entre Gérman e Caldas continuou.

Em 2010 o Grupo Efromovich doou R$ 300 mil à campanha eleitoral do ex-deputado. Em março de 2014, em entrevista a um site local, João Caldas reforçou o papel de “pai” do projeto de construção do estaleiro em solo alagoano, ao declarar que lutou sozinho para trazer uma refinaria para Alagoas.

Os empresários Germán e José Efromovich foram presos pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira, na operação batizada de “Navegar é preciso”. Eles são suspeitos de envolvimento em esquema de corrupção que envolve contratos da sua empresa Estaleiro Ilha S/A (Eisa) – o próprio – com a Transpetro, subsidiária da Petrobras.

Fechar