Delegacia Interativa: serviços ganham seção exclusiva para Lei Maria da Penha

Criada em 2006 pela Polícia Civil de Alagoas para facilitar a vida do cidadão alagoano, a Delegacia Interativa  acumula o registro de 214.556 Boletins de Ocorrência (BOs) via internet. O sistema vem passando por um processo de modernização visual e ampliando o rol de serviços oferecidos à população.

De acordo com Sálvio Marinho, coordenador de estatística e análise criminal da Polícia Civil, os índices de utilização do sistema pelos alagoanos só aumentam a cada nova funcionalidade.

“Nós não fechamos os números oficiais, mas  temos uma estimativa de que, até o final deste segundo semestre, a média parcial/dia à Delegacia é de 108 acessos, e a média parcial/mês é de 3.230 acessos. Com certeza, esse número vai aumentar exponencialmente com as novas funcionalidades criadas recentemente”, disse Sálvio Marinho.

Em Alagoas, a ferramenta foi instituída por meio de um convênio entre a Secretaria de Segurança Pública, o Instituto de Tecnologia de Alagoas (Itec) e a Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

De início, ela registrava Boletins de Ocorrência apenas de duas naturezas criminais (pequenos furtos e perda ou extravio de documentos).

Em 2014, a Delegacia Interativa passou por um processo de modificação e ganhou uma nova apresentação visual, mas ainda mantendo duas naturezas criminais, permanecendo assim até dezembro de 2018, quando teve uma reformulação, vindo a registrar roubo de celular.

Em 2019, a Delegacia Interativa ampliou os seus serviços para oferecer melhor atendimento e comodidade à sociedade, por determinação da Delegacia Geral.

Desde o dia 3 de maio deste ano, o cidadão pode fazer o registro (Boletim de Ocorrência) de dez novas naturezas de crime, por meio desta ferramenta, sem necessidade de se deslocar até uma delegacia.

Com a ampliação, passaram a ser registrados todos os crimes de roubo a transeuntes (não somente de celular), roubo a residências, dano, injúria, difamação, calúnia, acidente de trânsito (sem vítima), violação de domicílio, maus-tratos contra animais, desaparecimento e encontro de pessoas.

Nos casos de furto, calúnia, injúria e difamação, os registros podem ser feitos quando os crimes ocorrerem de forma convencional ou de forma virtual (por meio da internet).

A Lei Maria da Penha também foi contemplada nos casos de crimes de calúnia, injúria, difamação e ameaça. Somente em casos de violência física é que a vítima precisa ir a uma delegacia física, porém não mais nesses quatro tipos de crimes.

Além do módulo “Lei Maria da Penha”, também são novidades a inclusão das modalidades de ameaça, encontro e desaparecimento de pessoas.

Otimização

“A Delegacia Interativa é uma excelente ferramenta que disponibilizamos ao povo alagoano e aos turistas que podem desfrutar do serviço, utilizando qualquer dispositivo”, disse o delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira.

Para ele, “a polícia ganha principalmente com a otimização do tempo e com a facilidade de atestar os boletins de ocorrência (BOs), através da integração da delegacia interativa com os demais sistemas da Polícia Civil, o que vai em direção à modernidade dos serviços oferecidos pelo governo Renan Filho, e incentivados pelo secretário de Segurança, Lima Júnior”.

O Boletim de Ocorrência feito pela Delegacia Interativa tem o mesmo valor do documento expedido por uma delegacia comum, num distrito policial. É feita uma verificação por policiais civis e só depois é liberado um link para o denunciante imprimir o BO.

Os números da Interativa também servem, juntamente com os demais registros de ocorrência, para nortear as ações da Segurança Pública, alimentando o banco de dados e estatísticas da área.

Delegacia Interativa pode ser acessada por qualquer dispositivo – computador, celular, tablet –, por meio endereços eletrônicos: pc.al.gov.br e delegaciainterativa.al.gov.br

Ascom – 20/12/2019

Fechar