NOTA ZERO! Rui deixa Maceió em péssima situação fiscal

Em seu último ano de gestão, Rui Palmeira conseguiu deixar a situação de Maceió ainda pior. Segundo levantamento feito pela consultoria Tendências, das 26 capitais, apenas Macapá e Maceió não entram no quadro avaliativo.

As prefeituras receberam notas de 0 a 10 com base em seis indicadores de contas publicas. Cada indicador tem um peso diferente: endividamento (20%), poupança corrente (25%), liquidez (25%), resultado primário (15%), despesa com pessoal e encargos sociais (10%) e investimentos (5%). O período de análise envolve os anos de 2017 a 2019.

O que foi que aconteceu menino Rui? Como pode um Prefeito que mostra nas redes sociais “fazer muito”, e propor uma “Nova Maceió”, ter um índice praticamente inexistente?

Pelo levantamento os municípios com boa capacidade fiscal precisam ter nota média igual ou acima de seis, e para ser considerado como muito boa capacidade a nota tem de ultrapassar oito. De tão vergonhosa que era nota de Maceió, a consultoria preferiu retirar a nota zero da pesquisa e deixou na tabela como informação não disponível.

Neste ano, um estudo da CNM mostrou que centenas de cidades brasileiras estão próximas do colapso financeiro. De acordo com o levantamento, 229 prefeitos devem decretar calamidade nas contas públicas em 2020.

Com toda certeza Maceió está no meio deste colapso, e quem sofre diariamente é o maceioense tendo que aguentar ruas esburacadas, altos impostos, e a falta de segurança. Estamos entrando num período delicado do ano, a quadra chuvosa, maior período de chuvas intensas no município.

 A cidade alaga devido aos problemas de drenagem, os riscos de surtos por doença aumentam pertinente aos lixos que entopem bueiros e transbordam esgotos, sem esquecer também do bairro do Pinheiro que a cada dia que passa continua ignorada pelo nosso Prefeito.

E aí Rui, é desse jeito que você pretende deixar Maceió para o seu sucessor?

Fechar